NCAP distribui estrelas em crash-test

30/05/2013

NCAP faz testes também para avaliar danos às crianças em caso de acidentesO Renault Captur e o Chevrolet Trax ganharam cinco estrelas, pontuação máxima, no mais recente teste de impacto realizado pela NCAP (New Car Assessment Program ou Programa de Avaliação de Novos Carros), instituto independente que avalia a segurança dos veículos fabricados na Europa, mas que alguns são vendidos em países fora do Continente. Também foram bem avaliados os modelos Dacia Sandero, com quatro estrelas, e o Nissan Evalia, com três estrelas.

Renault CapurChevrolet TraxNissan EvaliaDacia Sandero
Destes quatro modelos, o Dacia Sandero é vendido no Brasil como Renault Sandero (a Dacia é uma marca romena, que pertence ao grupo Renault-Nissan). E o Chevrolet Trax será produzido no País, mas com o nome de Tracker.

Os detalhes gerais do testes, incluindo o ranking com todos os participantes, serão divulgados pela NCAP no final de junho de 2013.

Neste teste, a NCAP analisou, sobretudo, quatro quesitos nos veículos: danos aos ocupantes adultos, nos ocupantes crianças, nos pedestres e ainda a oferta/ desempenho de itens de segurança auxiliar.

No Renault Capur, o habitáculo manteve-se estável no impacto frontal. Leituras nos Dummies (ou bonecos antropométricos que substituem os passageiros humanos) indicaram boa proteção de todas as regiões do corpo do motorista e demais ocupantes. No entanto, em testes de batidas laterais com maior impacto, houve fraca proteção do tórax e do abdómen.

No impacto lateral com Dummies crianças, os dois manequins foram devidamente contidos. Quanto ao teste que avalia danos aos pedestres, o Capur marcou o máximo de pontos para a proteção das pernas.

A NCAP destacou, no modelo da Renault, a presença do sistema de Controle Eletrônico de Estabilidade de série, além do dispositivo de limitação de velocidade e a eficiência dos cintos de segurança dianteiros e traseiros.

O Chevrolet Trax, que também é vendido na Europa como Opel Mokka, será fabricado no Brasil pela General Motors como Chevrolet Tracker. O modelo vai herdar o nome do jipe feito na Argentina, que tanto sucesso fez por aqui pelo seu atraente custo-benefício há sete anos.

Nos testes com ocupantes adultos, o habitáculo manteve-se estável no impacto frontal. Leituras feitas nos danos aos bonecos indicaram boa proteção dos joelhos e fêmures do motorista e passageiro. O Trax marcou o máximo de pontos no teste de barreira lateral, com boa proteção de todas as regiões do corpo. No mais grave impacto lateral, a proteção do peito foi adequada, assim como da cabeça, abdómem e cintura. O assento e o apoio de cabeça proporcionaram uma boa proteção contra lesões cervicais em caso de colisão traseira.

No impacto lateral com Dummies Crianças, os dois manequins foram devidamente contidos pelas conchas protetoras, minimizando o risco de contato da cabeça com peças do interior do carro.

A superfície do capô e o para-choque oferecem boa proteção em caso de acidente envolvendo pedestres no Trax, mas o estudo demonstrou que a borda dianteira do capô pode machucar a área da cintura do transeunte.

O Trax ganhou pontos no item segurança auxiliar, porque possui Controle Eletrônico de Estabilidade, limitador de velocidade de série e cintos de segurança que seguem os padrões exigidos pela NCAP.

Com quatro estrelas, o Dacia Sandero (é o mesmo Renault Sandero vendido no Brasil) teve boas notas nos testes de impacto frontal, com proteção estável aos ocupantes adultos e crianças. Mas o teste da NCAP questiona a eficiência e rapidez dos airbags no momento da colisão.

Já o Nissan Evalia, com três estrelas, quando o carro foi inspecionado após o teste de impacto frontal, verificou-se que o piso tinha rasgado a partir da base da coluna e as soldas se soltaram. Isso significa que a proteção para os pés do motorista foi instável. A proteção para o tórax também não foi a ideal, embora o assento e o apoio de cabeça ofereceram boa proteção contra lesões cervicais em caso de colisão traseira.

Ranking do teste da NCAP

 

Da redação