Criança e Trânsito: campanhas nunca são demais

17/05/2013



Os números mostraCampanha Abraço Herói, da Fiatm que houve redução de cerca de 30% no número de mortes em acidentes de trânsito com crianças, depois da “Lei da Cadeirinha”, em vigor desde setembro de 2010, segundo estudos do Ministério da Saúde. Mas nem por isso os envolvidos na questão do trânsito podem baixar a guarda. Afinal, ainda cerca de 700 crianças morrem, a cada ano no Brasil, vítimas de acidentes de trânsito, sem contar atropelamentos (a pé ou a bordo de outros veículos, como bicicletas e motos).

Por isso, campanhas educativas, seminários, discussões em escolas, dicas de autoridades e blitze educativas são sempre muito bem-vindas. A mais recente vem da Fiat, maior montadora do Brasil, que traz ao mercado neste mês de maio de 2013 uma ação com o objetivo de mudar como as crianças veem o uso do cinto de segurança. Chamada de “Abraço Herói Fiat”, a campanha será realizada em concessionárias da marca no interior de São Paulo, e não tem data para ser “copiada” em outras praças.

A campanha resume-se em uma capa para cintos de segurança, com desenhos infantis inspirados nos super-heróis famosos. Ao serem colocadas nos cintos, elas simulam as mãos dos super-heróis, que “abraçam” as crianças. São três opções de capas, com desenhos dos quadrinhos dos personagens Batman, Mulher Maravilha e The Flash.

Outra iniciativa recente interessante foi desenvolvida pela ONG Criança Segura, que tem como missão promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos.

Guia "Ônibus a Pé" da ONG Criança SeguraTrata-se do guia “Ônibus a Pé”, ou Walking Bus, lançado neste mês de maio em todo o Brasil, que incentiva pais, responsáveis e voluntários a conduzir as crianças a pé até a escola de maneira mais segura, evitando atropelamentos.

O guia inclui orientações como planejamento de trajetos e horários, controle de riscos do percurso, envolvimento das crianças, perfil e treinamentos dos voluntários que vão conduzir o grupo. Com a publicação, comunidades, escolas, instituições e órgãos públicos poderão aprender e estimular a adoção do sistema em suas comunidades.

A ideia é atingir tanto as crianças pedestres, quanto os motoristas que circulam em regiões com grande concentração de baixinhos, tais como escolas, igrejas, shoppings etc.

Segundo a ONG, estudos mostram que os atropelamentos com crianças acontecem geralmente à tarde, no bairro de moradia, em dias úteis e vitimam meninos duas vezes mais que meninas com idade média de sete anos .

Um levaDicas para o transporte correto de criança em automóveisntamento feito pela Criança Segura, que envolveu 1.349 alunos de 7 a 13 anos de escolas em 16 municípios do Brasil, confirmou: 78% destas crianças já foram atropeladas pelo menos uma vez por bicicleta e 21% já foram atropeladas por veículos motorizados como ônibus, caminhões, carros e motos. A maior parte destas crianças confirmou que vai a pé para a escola (43%) sendo 65% acompanhadas, principalmente dos pais (46%).


 

 

PARA BAIXAR O GUIA NA ÍNTEGRA “ÔNIBUS A PÉ” ACESSE O LINK

http://api.ning.com/files/zkGb0X42pMTYJVFPccAJi-im-ScS8FCclYGXSZvmChhiU9yjZJpQCr8BG2MYMB4PfvZ*QsIl0mTl5Hpk6UZxDUBK5W9TqF5F/GuianibusaP.pdf

 

 

Luís Otávio Pires